FANTASTIC 4- INCLUDING YOU! Alemanha

O projeto Erasmus+ – Fantastic 4. Including You!, que envolve os 4 países, Portugal, Alemanha, Finlândia e Grécia, deu início a mais uma mobilidade do projeto, desta vez na Alemanha, entre os dias 8 a 14 de Outubro na pequena cidade de Limburgo, no estado de Hesse, tal como outros pontos de interesse próximos. Este, mais um vez, concluiu o seu objetivo inicial: ensinar e cultivar nos jovens os princípios de inclusão e diversidade, para além do melhoramento da língua inglesa e o conhecimento de um novo país e cultura aos alunos envolvidos. Nestas datas, pudemos rever os nossos colegas alemães, que em Abril visitaram Portugal e restabelecemos a nossa amizade, com a partilha, agora mútua, da sua cultura. 

 Esta semana, apesar de cansativa, foi bastante interessante e preenchida, todos os dias os alunos portugueses, finlandeses e gregos visitaram uma nova cidade e aprenderam coisas novas. 

Diário da viagem

No primeiro dia, domingo,iniciamos a nossa viagem rumo à cidade de Limburgo pela madrugada, voamos de Lisboa até Bruxelas, onde continuamos a nossa jornada, desta vez de autocarro, passando por cidades como Maastricht e Colónia. Após a chegada e reencontro com os colegas, direcionamo-nos até casa com as repetitivas famílias de acolhimento, onde jantamos, entregamos os presentes trazidos de Portalegre e desfrutamos da companhia dos colegas alemães . Foi um dia muito cansativo mas sobretudo cheio de entusiasmo para o seguinte! 

No segundo dia, segunda-feira, conhecemos a escola parceira Tilemannschule e apresentamos, como também os outros países, a nossa apresentação sobre o tema do projeto, o Desporto. Recebemos bastantes elogios devido à nossa prestação, que nos deixou bastante orgulhosos. Almoçamos e de seguida participamos num rally pela cidade, que promoveu o convívio e nos deu a conhecer a parte histórica desta bonita cidade, a sua catedral, rio entre outros. Foi um dia muito interessante onde aprendemos muitas coisas novas, tal como no decorrer da semana, e conhecemos melhor e convivemos mais com os outros alunos envolvidos.

No terceiro dia, começamos a visita pelas cidades, neste caso Heidelberg! Visitamos a interessante exposição “Korperwelten”, guiados por alunos da universidade de medicina da cidade. Aprendemos sobre o corpo humano e como as emoções e sentimentos estão ligadas a ele, exibindo corpos preservados com técnica da plastificação para revelar o interior de estruturas atômicas. Visitamos, depois, o centro da cidade, onde almoçamos num sítio à nossa escolha e passeamos pelas ruas repletas de história e loja. De seguida, fomos ao símbolo da cidade, o imponente castelo medieval com vista para o rio Neckar. Foi, depois de toda a semana, nomeada a nossa cidade favorita e a que consideramos mais bonita de todas as que visitamos, sendo também por isso, um dia fantástico! 

 

  No quarto dia, viajamos até Colónia, a maior cidade do Estado da Renânia do Norte- Vestefalia .Localizada nas duas margens do grande rio europeu Reno. Esta é um importante centro de cultura com dezenas de museus e centenas de galerias, que infelizmente não tivemos oportunidade de conhecer. Visitamos, porém, a sua catedral, que é patrimônio da UNESCO, onde subimos 533 degraus, subida esta que nunca esqueceremos, de uma das torres para uma vista deslumbrante sobre a cidade. Almoçamos, depois, uma comida tradicional alemã: salsichas com chucrute e apreciamos a companhia uns dos outros. Seguimos depois para Bonn, a antiga capital da República Federal  Alemã, onde visitamos o famoso museu “House of the History of the Federal Republic of Germany”, onde compreendemos, um pouco melhor, e aprendemos sobre a chocante e interessante história da Alemanha após 1945, com a perspetiva de alguém que viveu no tempo. O dia acabou e sentimos que tinha sido uma jornada intensa e em que aprendemos muito.

 No quinto dia do projeto, fomos visitar o vale do rio Reno, onde se encontrava a estátua de “Loreley”,que os nossos colegas alemães deram nos a conhecer, tem uma lenda: depois de ser enganada pelo seu amado, se vinga dos homens, atraindo-os para o rio cantando a musica ich weiß nicht was soll es bedeuten para depois lhes causar a morte. Após uma pausa par café, dirigimo-nos para o castelo de Marksburg, onde tivemos uma visita guiada do local. De tarde, conhecemos a cidade de Koblenz, onde vimos o Deutsches Eck, o monumento com a estátua equestre do primeiro imperador alemão, sítio onde os rios Reno e Moselle se unem.  

  No sexto dia, voltamos  passar o dia na Tilemannschule. De manhã, fizemos uma atividade de comparação dos aspetos positivos entre a escola do nosso país e a o que reparamos e aprendemos da escola alemã. A seguir, fizemos um booklet com memórias, assinaturas e desenhos da semana incrível que tivemos, assistimos, também, um pequeno teatro organizado por alunos da escola chamado “Black Light Theatre” no qual as luzes estavam apagadas com uma luz negra apontada aos atores de maneira a criar diferentes cores. Depois de almoço, jogamos jogos tradicionais de cada país, onde mais uma vez fomos elogiados pela criatividade. Como última atividade, os nossos anfitriões organizaram um jantar num salão de festas, onde tivemos um jantar fantástico que contou com a presença de todos os alunos e professores envolvidos no projeto, onde recebemos os nossos diplomas de participação. Marcando assim o fim da nossa viagem. 

 O último dia da semana começou com despedidas e muita emoção, dissemos adeus às famílias que nos acolheram e fizemos promessas de nos revermos, e seguimos a viagem de regresso na estação de comboios, que nos levou até Mountbaur, onde apanhamos um autocarro para Bruxelas. A chegada ocorreu por volta das 15:00, como o voo seria por volta das 20:40, acabamos por ficar algumas horas na capital belga, aproveitando para visitar a Grand Place, o emblemático Manneken Pis, comemos waffles belgas e compramos chocolates pra levar para a familia. Chegados ao aeroporto, apanhamos o voo de volta para Lisboa e reencontramos a nossa família. 

 Aí se concluiu esta magnífica semana do projeto Erasmus.

TESTEMUNHO da minha EXPERIÊNCIA

Agora chegando ao fim da minha experiência no projeto, deparo-me com um misto de saudade e tristeza por ter acabado. Ambas as vertentes, de receber e de ser recebido foram fantásticas. As amizades que construí e pessoas que conheci e levarei para a vida; a partilha de cultura; as aprendizagens tanto culturais como pessoais fizeram-me crescer como pessoa e tornaram esta experiência ainda mais especial. Apesar de todos os desafios que tivemos de enfrentar enquanto participantes, o trabalho, esforço e tempo que temos, ambos professores e alunos, de pôr no projeto é sempre recompensado, com a oportunidade de conhecer um novo país e novas pessoas.

 Quando recebi a minha colega alemã, confesso que estava um pouco nervosa, receber uma pessoa estrangeira é sempre difícil, não falamos a mesma língua nem temos os mesmos costumes porém acaba-se por criar um laço, de amizade e partilha. Fazemos todas as refeições e viagens juntos e acabamos por conhecer uma pessoa que apesar de modos e culturas diferentes é tão semelhante a nós. No meu caso, fiz uma amizade que tenho a certeza que levarei para a vida, mantenho contato com ela todos os dias, apesar das diferenças, somos muito semelhantes de personalidade, tive muita sorte. Ser anfitrião por vezes é muito difícil pois podemos não conseguir mostrar tudo o que desejamos, por não estarmos no nosso melhor, o que acontece devido ao cansaço que a semana nos dá, ou convidado não nos dar abertura para o fazermos. Nós mostramos o nosso país, a nossa cidade e sentimos orgulho nisso, sentimo-nos especiais por isso, aprendemos a gostar de onde vimos, é um sentimento bastante agradável mostrar o nosso, a partilha.

 Quando fui recebida, pela mesma colega alemã, foi muito entusiasmante revê-la e conhecer desta vez o seu país. Já conhecendo-a , estava bastante segura e feliz por lá estar. No grupo português, fortalecemos as nossas amizades, muitos nem se conheciam e ficamos muito amigos, pois vivemos o mesmo e relacionamo-nos por isso. Aprendemos muito sobre independência, ficamos mais confortáveis quando futuramente viajamos por conta própria pois estas atividades dão-nos experiência, ensina-nos a lidar com diversas situações que muitos jovens não fazem ideia de como ultrapassar. “Abrimos os olhos para o mundo à nossa volta”, ficamos a conhecer a realidade de outras pessoas, motivando-nos a ter uma mente mais aberta e inclusiva.

 Em ambas as vertentes, também existem vários pontos interessantes: o melhoramento e desenvolvimento da língua inglesa, passamos as semanas a falar em inglês com os parceiros dos outros países. As diferenças no comportamento e modos, que por vezes até achamos invulgar, porém ao as conhecer, aprendemos com elas e respeitamo-las, promovendo mais um vez os princípios de inclusão e diversidade. Para além de conhecermos outras pessoas de vários países, neste caso alemães, finlandeses e gregos. Que é bastante especial e importante, nem todos temos essa oportunidade.

 Para concluir, gostei muito do país que visitei e de todas as cidades que visitei, em especial Heidelberg e Cologne, tanto como os museus e exposições, nomeadamente o House of the History of the Federal Republic of Germany e a Korperwelten. E também quero realçar a importância da existência do projeto, para aqueles que não têm capacidade financeira para viajar e conhecer países novos. Nós, europeus, temos muita sorte por ter possibilidade de participar neste tipo de atividades.

Escrito por Isabel Machado

Comentários fechados.

© 2017 Agrupamento de Escolas do Bonfim. Todos os direitos reservados.